Nome: Graci Martins
Aniversário: 23/01
Signo: Aquário
Cidade: Catanduva/SP

"Amigos são aquelas pessoas raras que nos perguntam como estamos e depois ficam à espera da resposta" [E.Cunnigham]


Christmas Countdown - Christmas Layouts

..:: Link-Me ::..





Histórico:

- 01/02/2009 a 28/02/2009
- 01/01/2009 a 31/01/2009
- 01/12/2008 a 31/12/2008
- 01/11/2008 a 30/11/2008
- 01/06/2008 a 30/06/2008
- 01/04/2008 a 30/04/2008
- 01/03/2008 a 31/03/2008
- 01/02/2008 a 29/02/2008
- 01/01/2008 a 31/01/2008
- 01/12/2007 a 31/12/2007
- 01/11/2007 a 30/11/2007
- 01/10/2007 a 31/10/2007
- 01/09/2007 a 30/09/2007
- 01/08/2007 a 31/08/2007
- 01/07/2007 a 31/07/2007
- 01/06/2007 a 30/06/2007
- 01/05/2007 a 31/05/2007
- 01/04/2007 a 30/04/2007
- 01/01/2007 a 31/01/2007
- 01/12/2006 a 31/12/2006
- 01/11/2006 a 30/11/2006
- 01/07/2006 a 31/07/2006
- 01/03/2006 a 31/03/2006
- 01/02/2006 a 28/02/2006
- 01/01/2006 a 31/01/2006
- 01/01/2005 a 31/01/2005
- 01/11/2004 a 30/11/2004
- 01/08/2004 a 31/08/2004
- 01/07/2004 a 31/07/2004
- 01/06/2004 a 30/06/2004



Blogs Amigos:

- Arthur Junior
- Camila Farhat
- Flavia
- F&A2
- Ilze
- Jucemara
- Katia Villar
- Marcelo Roca
- Marcia
- Margarete
- Marisol
- Nati
- Neyla
- Regin@
- Sandra Pacheco
- Sandra Vergara
- Silvia (Feitíço da Lua)
- Valentina (Tina)
- Vera Stefanello
- Veridiana
- UOL - O melhor conteúdo

..:: Blogs e Sites Amigos ::..










































..:: Blogs Scraps ::..



















Fan of Elka Romero Designs






























..:: Blogs Croche ::..




..:: Sites Mensagens ::..

Votação:

- Dê uma nota para meu blog

Indique esse Blog


..:: Awards ::..







..:: Minhas Tags ::..






 

 

 

 

 

 

 

Layout By Neyla





LIMITES

 

Dancei os passos que a vida me ensinou,
Cantei o canto dos mestres do amor
Me rendi ao encanto da lua e das estrelas
Busquei meus sonhos,
Acreditei no meu talento
Me entreguei de corpo e alma...
Mergulhei no mar em fúria
Sem
ao menos saber nadar.
Atravessei passagens perigosas
Tentei voar no infinito
Mergulhar em um inocente mar de emoções,
Mas naufraguei os meus sonhos
E me afoguei em ilusões...
Fui maltratada pelo destino
Atormentada pela solidão.
Mas a esperança sobreviveu diante da ilusão
Suportou o tempo
Acreditou no amanhã,
E depois de uma turbulência na alma e no coração
O destino me traz as asas
Para que eu possa voar sem medo no infinito
E mergulhar em um mar de verdadeiras emoções.
Fui além de meu LIMITES
Mas...
Foi desobedecendo a razão
Que encontrei a felicidade
E hoje sou feliz!!!

 

 

[Fabiana Thais Oliveira]

Extraído do Site: http://www.declaracaodeamor.com/index.php



- Postado por: Graci às 14h59
[ ] [ envie esta mensagem ]






RECEITA DE ESCREVER POESIAS
 

Ingredientes: 
sonhos
(quanto mais velhos,
como pão dormido,
melhor),

 

realidade
(a melhor é a bem verdinha,
brotando o dia inteiro)
e a lembrança da primeira chuva
tomada quando foi ao cinema
com o primeiro namorado.

 

Separe a realidade
em porções iguais
e coloque um pouco de sonho
dentro de cada uma.

 

Regue com a água
que a memória guardou
da primeira chuva.
Cuidado, não exagere!
Se ficar doce demais,
coloque algumas gotas
do primeiro choro de amor.

 

Cuide bem de seus sonhos:
às vezes querem a luz do sol,
outras a escuridão da noite,
às vezes querem ouvir o silêncio
do tempo, outras o barulho
de vidas sendo erguidas.
É difícil entendê-los,
temos que ter calma e amor.

 

Deixe repousar.

Em breve seus sonhos
serão grandes árvores,
estendendo seus braços
para o céu.

 

Transplante-as então para o papel,
ou então faça um jardim.
O mapa do jardim será
seu, para entregar
a quem merecer.

 

[Felipe Coelho]

Extraído do Site: http://www.maricell.com.br/amigos2004/felipe_felipe.htm

 



- Postado por: Graci às 14h49
[ ] [ envie esta mensagem ]




VAIDADE INTELECTUAL

 

“A modéstia é a vaidade escondida atrás da porta.”

(Mário Quintana)

A pior das vaidades
não apresenta-se no espelho,
não esbanja futilidades,
nem usa batom vermelho.
A pior e mais abjeta
de toda forma de vaidade,
é aquela que, esperta,
cobre-se e fica à vontade
sob o manto do conhecer,
do excesso de informação,
que escancara aos quatro ventos
títulos e homenagens,
desculpas para a arrogância,
pouco tato e intolerância.
É a cabeça que faz vezes
da alma, há muito morta.
Verdade, Quintana:
há muita coisa atrás da porta.

 

 

[Débora Denadai]

Extraído do Site: http://www.deboradenadai.prosaeverso.net/index.php



- Postado por: Graci às 14h42
[ ] [ envie esta mensagem ]